Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

La Bohemie

Sementes de sonhos.

para o Marco Almeida

 

«Tu és mesmo dedicada, miúda. Meia-noite, a tarde toda lá e já tenho o texto e as fotos. Eu espero, sinceramente, que no próximo Rock in Rio não estejas a fazer reportagem para mim, mas para um OCS a sério.»

Não Marco, no próximo Rock in Rio, NÓS vamos ser o órgão de comunicação a sério, como tu dizes. A revista Vogue não nasceu a sério. A revista Blitz não nasceu a sério. Foram as pessoas, o seu trabalho e dedicação que fizeram delas OCS a sério. Mas tu não tens jardim em casa, ainda não entendes o fascínio que é cavares a terra com as tuas próprias mãos e semeares as mais variadas espécies de botânica. As tulipas semeiam-se no início do Outono e só nascem na Primavera, sabias? Duas estações, sete meses. Há sete meses que trabalhamos juntos, há sete meses que (re)começámos este projecto juntos e já vamos ao Rock in Rio. Já fomos ao Vodafone Mexefest e ainda vamos a tantos outros festivais. Continuaremos a ir a concertos, a fazer entrevistas e reportagens, sempre com a mesma lata que reconheces em mim. Devias orgulhar-te. Mas tu não tens jardim em casa, ainda não percebes quanta paciência e minúcia são precisas para regar o jardim duas vezes por dia sem a certeza de que vão nascer flores. Às vezes não nascem, sabias? Muitas vezes, a própria natureza encarrega-se do ciclo da vida. Quando as minhas primeiras tulipas floresceram fiquei tão feliz e orgulhosa que não as apanhei. Tinham sido as minhas primeiras plantações e não as quis apanhar para poder contemplá-las nos canteiros. No dia seguinte a gata destruiu tudo. Fiquei danada, mas no fundo estava orgulhosa porque tinha cumprido a minha missão. Havia conseguido plantar algo que deu frutos. Não podemos controlar o que os outros fazem, mas temos a obrigação de comandar o que nós próprios fazemos. O que importa é sabermos que nós fizemos o que devíamos ter feito. E eu sei que estamos a fazer bem.

O Rock in Rio não nasceu a sério. No início ninguém acreditou nas ambições do Roberto Medina e olha para o que é hoje. Rock in Rio é o maior evento de música e entretenimento de todos os tempos, contando já com 13 edições realizadas no Brasil, Portugal e Espanha que reuniram mais de sete milhões de pessoas. Sete, outra vez. Sabes que eu ligo a esta treta dos números. Tu não tens jardim em casa, mas sabes que que somos capazes. Sabes quem me fez a visita guiada de todo o Parque da bela Vista na quinta-feira? O Walter Ramires, director de Engenharia do Rock in Rio, a única pessoa que esteve presente em todas as edições do Rock in Rio do mundo. Ele tem tantas histórias caricatas como fascinantes. Eu estive com ele uma tarde inteira e o brilho dos seus sonhos é o brilho que ilumina o nosso percurso. É um homem simples, mas orgulhoso. Eles começaram com uma mísera equipa de pessoas sonhadoras em terrenos esquecidos e hoje todos nós os lembramos como criadores de sonhos.

Tu não tens jardim em casa, mas eu tenho. Eu sei o que é cravar as mãos na terra e não poder apanhar as tulipas que destruíram. Eu sei o que é regar o jardim todos os dias na esperança que nasça uma nova planta. Porque eu acredito. E continuarei a regar o nosso canteiro todos os dias até ser um jardim a sério. É um orgulho trabalhar contigo, porque tu és um chefe a sério.

 

Beijinhos, La Bohemie.