Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

La Bohemie

O pouco de nada que ficou.

É engraçado saber-me acompanhada por mim mesma entre estranhos desconhecidos. É engraçado e irónico que entre essa multidão não estejas tu. Desisti de ti e nem te apercebeste. Apenas um número de telemóvel retirado da lista. Apenas alguém que te fez rir e ter prazer. Mas só a minha cabeça compreende perfeitamente esta decisão. O resto de mim foi-se embora e não sei quando voltará, porque leva tempo a habituarmo-nos à tua ausência. A mim e ao meu corpo. E à minha alma. Quantas pessoas sentirão o mesmo? O amor é sempre igual, mesmo quando é diferente. A urgência do outro, do corpo do outro, da voz, do toque e do olhar. Tudo é igual em quem ama. Por isso a separação também é idêntica. E neste preciso momento uma boa parte da humanidade tem estes olhos vazios, aquele amargo na boca e o aperto no estômago. Primeiro perde-se. Depois desiste-se. Depois morre-se por dentro.

 

Beijinhos, La Bohemie.