Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

La Bohemie

O par de sapatos perfeito. Ou não.

 

Todas as mulheres sonham em encontrar o par de sapatos perfeito. Aqueles, os tais. Bonitos, clássicos e cima de tudo confortáveis. Mas o que parece ser tão simples como encontrar o amor da nossa vida, é bem mais complicado. Primeiro porque não existem sapatarias em todas as esquinas, depois porque nem sempre gostamos das sapatarias que encontramos na rua. Muitas vezes este processo leva mais tempo do que desejamos e com ele dissipa-se a nossa incansável procura. E esperança. Primeiro queremos uns Manolo Blahnik, depois sonhamos com uns Roger Vivier, afinal preferimos uns Jimmy Choo. Perfeito, perfeito, era comprarmos um par de Christian Louboutin e vivermos felizes para sempre. Mas não, não temos dinheiro suficiente para comprar o par de sapatos dos nossos sonhos e levamos meses a fazer poupanças para os conseguir comprar. Quando esse dia chega, não existe o nosso número. Quando chega o nosso número, afinal toda a gente tem os mesmos sapatos e deixaram de ser especiais aos nossos olhos. Gostamos tanto de sapatos que caímos no erro de os comprar ao desbarato, só porque sim. Como se não fosse permitido caminhar de pés descalços, como se fosse impensável dançarmos sozinhas debaixo de um céu chuvoso, como se parecesse impossível passearmos numa rua escura sem o tal par de sapatos com que sempre sonhámos.

Desde quando precisamos do par de sapatos perfeito para nos sentirmos especiais? Desde quando precisamos de calçar os pés se depois começam a doer assim que percorremos três quarteirões? Vivemos tão iludidas com a perfeição de um par de sapatos, que acabamos por comprar uns que não nos cabem. Sofremos dias inteiros com os pés magoados, na esperança que aquela relação funcione um dia. Não damos tempo aos pés e as feridas nunca chegam a sarar. Não damos tempo aos pés e as marcas não chegam a passar. Os sapatos são um bocado como os homens. No início parecem-nos perfeitos porque queremos muito que sejam perfeitos, mas com o tempo começam a magoar, massacram os pés dia após dia, fazem-nos transpirar, fazem-nos chorar. Insistimos porque não somos capazes de aceitar a imperfeição existente, não somos capazes de largar a ilusão da perfeição e acreditamos que os sapatos um dia deixarão de magoar. E quando esse dia chega, já estão gastos, estragados e feios. O par de sapatos perfeito. Ou não. Talvez este texto não seja só sobre o par de sapatos perfeito.

 

Beijinhos, La Bohemie.

 

1 comentário

comentar post