Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

La Bohemie

Desculpas esfarrapadas.

Se há coisa que me irrita são as desculpas que inventamos a toda a hora para fugirmos a situações ou obrigações para as quais não temos disposição para cumprir. Eu própria o faço, confesso, mas porque sei que destroçaria o coração a muita gente caso dissesse «Achas mesmo que eu quero passar a tarde a ver lojas contigo? Eu nem sequer gosto de ver lojas.» ou «Não, não quero ir beber café porque não me apetece estar contigo» ou «Não, não vou jantar fora porque não estou com pachorra para ouvir-te durante três horas». Claro que neste momento já estarão meia dúzia de amigos a pensar «Afinal, aquela cabra não quer é estar comigo» e assumo esse risco, mas os meus amigos sabem que gosto muito deles e caso não possa num dia, arranjo forma de conseguir no outro. E só eu sei o quanto em falta estou com alguns. Mas agora que reflicto sobre o assunto, não seria muito mais sensato explicarmos a verdadeira razão de não nos apetecer fazer seja o que for em determinado dia? Que apesar de querermos e precisarmos de estar com eles, não estamos com disposição naquele momento? Há uns meses, em conversa com uma amiga que tem uma agenda social bastante preenchida, ela própria me disse «Todas as noites há qualquer coisa. Ou um jantar, ou um evento, ou saio tarde do trabalho. E há dias que não tenho nada marcado, mas são dias que me apetece estar sossegada em casa», e pela primeira vez ouvi alguém a ser tão sensato em relação a este assunto. Há dias que só nos apetece é estar em casa descansados com o nosso próprio sossego. E isso não significa que não temos tempo para os nossos amigos ou compromissos. Significa que precisamos de tempo para nós. Ora, se todos nós precisamos de tempo de descanso, porque não o dizemos franca e naturalmente? Por que é que arranjamos desculpas e mais desculpas que não passam disso mesmo: desculpas? Claro que a verdade dói, custa ouvir, nem sempre se aceita, mas a mentira consegue ser ainda mais medonha e cansativa. Irrita-me tanto ter de dar desculpas esfarrapadas, como ter de as ouvir. Será que custa assim tanto admitir «Não me apetece», «Não quero», «Não estou com disposição para»? Todos nós sabemos que as desculpas do género «Dói-me a cabeça» ou «Tenho uma reunião» já não pegam nem com um cabo micro usb.

 

Beijinhos, La Bohemie.