Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

La Bohemie

Cumplicidade.

Cumplicidade é irmos à descoberta do desconhecido. É conhecer cada bocado de nós próprios, explorar cada pedaço um do outro. Cumplicidade é aquele abraço reconfortante, aquele beijo ternurento. Cumplicidade é entrar num café cheio de gente e ter a certeza de onde estás tu. Cumplicidade é olhar para ti todos os dias e saber que és tu. Somos os dois. Cumplicidade é ainda hoje não fazermos ideia do que somos, do que queremos, e arriscarmos todos os dias com a certeza de que nos desejamos. Tu, com barba. Eu, sem maquilhagem. Assim, simples, como gostamos. Como idolatramos. 

 

 

 

 

Porque ris? perguntaste-me quando chegámos. Ri-me pela cumplicidade do destino, ri-me porque é um Miradouro que tanto admiro e que agora é também um pouco nosso, um do outro. É o Miradouro do cigarro que fumámos, das fotografias que tirámos, dos beijos que demos, dos abraços que recebemos. É o Miradouro das nossas conversas, dos nossos desabafos, dos nossos risos, dos nossos disparates. É o Miradouro da Santa, da Igreja e das escadinhas que eu não conheço. Sorri porque agora aquele Miradouro é nosso e de quem por lá passou. De quem nos ajudou numa noite tão fria mas aquecida pela cumplicidade um do outro.

 

 

 

 

 

Lisboa é tão bonita!, suspiraste. Cumplicidade é a beleza desta cidade que me viu nascer e que tanto tem para viver. É a beleza de uma cidade que tem a sua luz e que nos ilumina todos os dias, todas as noites. Cumplicidade é termos uma cidade só nossa. Cumplicidade é termo-nos um ao outro mesmo quando vamos embora. Mesmo quando eu parto e tu ficas, porque sabes que eu volto. Voltamos sempre. Porque temos esta cidade que tanto gosta de nós. Porque temos cumplicidade. Porque somos o Amor que nos faz ir e voltar, mesmo quando não fazemos ideia do que queremos, mas sabemos. 

 

Beijinhos, La Bohemie.