Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

La Bohemie

Amar sem amor.

10687146_980534778629214_428524477242576545_n

 

 

O facto de ainda estar viva dá-me duas certezas: a de que um dia irei morrer e a de que o meu pai nunca se orgulhou de mim. Dizem que o tempo cura tudo, mas eu sei que o meu pai não tem cura, nunca a quis ter. Toda a minha educação teve como base o praticar o bem e perdoar o mal, mas eu nunca compreendi como uma pessoa que sempre me fez mal me podia ensinar a fazer o bem e a perdoar o mal dos outros.

Quando fiz dezoito anos e saí de casa tive a certeza que terminaria naquele dia a nossa relação de pai e filha - se é que alguma vez existiu. Naquele dia eu tive a certeza de que nunca mais me daria ordens; nunca mais me levantaria a voz, o corpo e a fúria; nunca mais me magoaria física e psicologicamente; nunca mais me obrigaria a ser quem nunca quis ser. Naquele dia perdoei-lhe todas as vezes que não me felicitou no aniversário, que falhou os Natais, os Verões, as minhas festas escolares, as minhas competições desportivas e as minhas peças de teatro. Naquele dia perdoei-lhe a falta de beijos, abraços e apoios. Naquele dia perdoei-lhe a falta de Amor e de afecto. Eu nunca ouvi o meu pai a dizer «amo-te». E agora sei que nunca o irei ouvir. Naquele dia eu perdoei todo o seu mal porque precisei de seguir em paz com ele e crescer confiante comigo. Mas há dias recebi um e-email dele e senti-me mal. O corpo quente, nauseado, enfraquecido. «Vê se te interessa». Deitei-me no chão frio até me passar a quebra de tensão e chorei. Porquê? Se ele sabe que me formei em Comunicação Social e Cultural, por que raio me envia propostas de trabalho em Gestão? Porquê? Se ele sabe que eu sou jornalista, por que raio me envia propostas de trabalho para um escritório de Advogados? Porquê?

Quando lhe comuniquei que queria ser jornalista ouvi de imediato «Mas tu és burra? Os jornalistas são todos burros! Tens capacidade para estudar Medicina, Engenharia ou Gestão e queres ser jornalista? Queres viver de água e pão?» Não, eu quero viver de sonhos e conquistas. Quero viver com o que tenho alcançado. Quero fazer o que gosto e viver com Amor. Quero ser quem desejo ser e viver feliz. Mas ao fim de 25 anos percebo que o meu pai nunca saberá o que é isso, porque nunca soube amar. Ao fim de 25 anos eu tenho a certeza de que ele nunca se orgulhará de mim e que nunca me amará. Porque não se pode amar sem Amor.

 

Beijinhos, La Bohemie. 

4 comentários

comentar post