Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

La Bohemie

Dia do Pai.

Passei o dia inteiro a ler palavras pomposas e dedicatórias pirosas dedicadas aos respectivos pais. Anúncios publicitários com músicas maravilhosas, imagens confortantes mas que, na verdade, só nos tentam vender um qualquer produto de uma qualquer marca e não o amor de pai. Muitos de nós identificamo-nos automaticamente com este tipo de marketing e por isso mesmo partilhamos nas redes sociais, lembramo-nos de comprar um presente ou simplesmente ligamos ao nosso pai a dizer que o amamos e que é o melhor pai do mundo. E quando já não temos um pai? Ou quando tecnicamente o temos mas é precisamente a nossa mãe a representá-lo dia após dia, anos após anos? Quando é a nossa mãe a ser mãe e pai todas as horas do dia, a dedicar toda uma vida para certificar o conforto e segurança de um filho? Recordo-me de vários ensinamentos do meu pai, mas não lhe guardo boas memórias, por isso seria hipocrisia da minha parte enviar-lhe uma mensagem ou ligar-lhe a dizer que é o melhor pai do mundo porque não é nem foi ao longo de 22 anos. Para mim, hoje é dia da mãe que tem sido sempre mãe, pai, amiga e conselheira, tem sido a base de toda a minha pirâmide, tem sido e é o melhor pai do mundo. Para ela, um beijo enorme.

 

Beijinhos, La Bohemie.