Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

La Bohemie

A simplicidade do Amor.

Eu amava-te, sabes.

Muito.

De verdade.

Amava-te tanto que deixei de ter espaço para me amar a mim mesma.

Como se não houvesse lugar para o amor-próprio.

Como se não houvesse tempo para o meu próprio amor.

Não era um amor forçado ou doentio.

Não era um amor platónico, impossível e complicado.

Era um amor verdadeiro, genuíno.

Era um amor simples.

Era simples amar-te.

Era um amor puro.

Daqueles amores que duram para sempre.

Mesmo quando não acreditamos na sua eternidade.

Mesmo quando deixamos de lutar.

Mesmo quando deixamos de acreditar.

Mesmo quando deixamos de sonhar.

Amar.

Era tão simples amar-te.

Era tão bonito amar-nos.

 

Beijinhos, La Bohemie.