Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

La Bohemie

Vidas entediadas.

Se eu já desconfiava de pessoas que estão sempre, mas sempre, felizes e a sorrir, como se a vida nunca as tivesse traído, como se a morte, um corte num dedo ou uma queda não provocassem dores ou mágoas profundas, agora tendo a afastar-me de pessoas aborrecidas. É certo que há quem seja genuinamente divertido, bem disposto, prático e que consiga superar a dor facilmente, mas há tantas outras pessoas tão aborrecidas que chega a doer a alma. Pessoas chatas, vidas entediadas, casas despidas, almas temidas. Pessoas incapazes de quebrar o silêncio com uma gargalhada, pessoas que se queixam da vida como se fosse um sacrifício viver, conviver. Pessoas que não conseguem quebrar a rotina com um encontro, uma saída, uma dança. A dois, sozinhas, debaixo da chuva, quem sabe?

Há pouco tempo, a meio de uma das conversas mais íntimas que tive até hoje, um amigo perguntou-me «Porquê? Ele acrescenta alguma coisa à tua vida?» E respondi quase sem pensar «Não sei. A verdade é que não acrescenta. Até me aborrece com a mesma conversa de sempre.» E foi quando percebi que existem pessoas que não nos fazem falta, que nada acrescentam à nossa vida ou à nossa forma de viver. O Inverno, por vezes, também é bonito lá fora. A rir, debaixo da chuva.

 

Beijinhos, La Bohemie.

1 comentário

comentar post