Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

La Bohemie

Sofisticação Noturna.

Quando me pedem para irmos beber um copo a um bar calmo, sofisticado e fora dos olhares das grandes multidões ocorrem-me os meus três preferidos: O Pavilhão Chinês, o Foxtrot e o Procópio.

 

O primeiro é um dos lugares mais incríveis que já vi até hoje. O Príncipe Real está cada vez mais alternativo, lojas giras, montras soberbas e o Pavilhão Chinês fica mesmo ao lado de uma das minhas preferidas, a Charcutaria Moy – tudo por causa dos produtos da marca francesa Fauchon. Assim que se chega ao número 89 da Rua Dom Pedro, toca-se à campainha e a porta abre-se como por magia por um senhor bem vestido e sempre com um sorriso contagiante. O chão forrado com carpete vermelha, as mesas pequenas com candeeiros de luz amarela e a música ambiente não deixam enganar: estamos no Pavilhão Chinês. A obscuridade propositada faz-nos descobrir aos poucos uma soberba colecção de arte constituída por mais de 4.000 peças pequenas, escolhidas com gosto ao longo de muitos anos, subordinadas aos mais variados temas. O proprietário Luís Pinto Coelho é um coleccionador inato e escolheu este prédio de 1900 para oferecer aos seus clientes uma longa e mágica noite de conversas sorrateiras, acompanhadas por um cocktail ou quem preferir um dos 40 chás disponíveis no estabelecimento aberto todos os dias até às 02h00.

 

 

O Foxtrot é um dos bares mais icónicos de Lisboa, onde a decoração Arte Deco e a música ambiente embarcam-nos numa máquina do tempo, difundidas nas tertúlias e conversas entre namorados que se fazem à meia-luz. Situa-se em São Bento, na Travessa Santa Teresa, tem quatro salas acolhedoras, uma lareira para nos aquecer nas noites frias e um amplo jardim para as maravilhosas noites de Verão. Assume-se com o típico conceito de Pub Inglês e é obrigatório incluí-lo no roteiro nocturno da capital – está aberto todos os dias das 18h00 às 03h00 e eu aconselho a experimentarem o cocktail Bloody Mary que é divinal.

 

 

Um piano marca a atmosfera propícia a conversas recatadas, a decoração Arte Nova mantém este espaço de 1972 com um ambiente jovial e as notas soltas de jazz aquecem o ambiente. «Vamos a um bar tão escondido que nunca mais te vais esquecer dele», disseram-me. E não esqueci, o Procópio situa-se perto do Jardim das Amoreiras, num largo tão recatado como exuberante onde uma pequena porta de uma casa antiga se exibe em volta de hera. Tocámos à campainha e apareceu-nos outra vez um senhor bem vestido com um sorriso contagiante. Numa mesa rodeada de amigos, bebidas e aperitivos, as vozes dissipavam-se entre as imensas paredes decoradas, os empregados sempre atenciosos, as tentativas de adivinhar os autores dos inúmeros retractos e pinturas expostas na sala e a noite passou entre conversas e tragos de prazer de uma das melhores cervejas belgas que estão à nossa disposição. O Bar Procópio está aberto de 2ª a 6ª feira, das 18h00 às 03h00. Ao Sábado está aberto a partir das 21h00.

 

Beijinhos, La Bohemie.