Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

La Bohemie

Corridas de mota.

Para o N.


Quando hoje me perguntaste se podíamos ir passear de mota, já tinha calçado os sapatos altos. Que se lixe, pensei. Uso sempre as tuas sapatilhas favoritas, mas hoje já tinha os sapatos altos calçados e lembrei-me do episódio em que a Carrie veste o seu novo vestido Prada e, assim que desce as escadas de sua casa e percebe que vai à festa de mota, fica aterrorizada. Quando hoje desci as escadas do meu prédio, já tu me esperavas e sorri-te. Abracei-te com toda a força que guardei nestes dias. Tinha saudades tuas. Tinha saudades de passear contigo de mota, sentir o vento bater-me no peito, o eco das tuas palavras chocar com o eco das minhas, viver a minha cidade mais perto. A primeira vez que andei de mota contigo estava tão histérica que entrei em pânico. Disseste que estava muito frio e apertaste-me o casaco de pele até ao pescoço. Quando coloquei o capacete interroguei-te se estava bonita, sentia cinco quilos em cima da minha cabeça e o cabelo embaraçado. «Tu és bonita», disseste-me. E foi das viagens mais bonitas de sempre. O frio, as lombas na estrada, as curvas apertadas nas rotundas, as luzes dos paquetes no rio, as músicas, as vozes. Quando se está mais exposto a algo, tendemos a viver as coisas com maior intensidade, mais atenção e delicadeza. E eu estava agarrada a ti, com medo que o mundo me derrubasse, com medo de cair e nunca mais conseguir levantar-me do chão. Mas tu estavas ali, preocupado com o meu bem-estar, tocavas-me na perna para verificar a minha presença e ias-me contando histórias para me distrair. E por isso nunca fiquei aterrorizada por andar de mota contigo, porque sei que estás ali, perto de mim, preocupado comigo e que terás sempre histórias para me contar para me distrair.

Quando hoje me perguntaste se podíamos ir passear de mota, respondi que devíamos porque sabia que te iria ter ao pé de mim e que eu estaria agarrada a ti. E por isso, quando hoje coloquei o capacete e perguntei se estava bem e tu respondeste «Tu estás sempre bem» eu sabia que ia ser uma das mais bonitas viagens de sempre.


Beijinhos, La Bohemie.