Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

La Bohemie

St. Apollonia.

«All these saints that I move without
I lose without in vain
All these saints, they move without
They moved without again
Well, all these places will lose without
They lose without a name»
 
 
Quando foste embora pela primeira vez eu disse até já. Tu não ouviste, mas eu disse até já e segui caminho sem olhar para trás. Eu nunca olho para trás quando não quero partir, eu nunca olho para trás quando não quero que partam. Não gosto de partidas sem chegadas e por isso disse até já. Eu sabia que voltaria a ver-te, eu tinha de voltar a estar contigo, mais ou menos como a Carrie diz ao Aidan, mesmo antes dele sair de casa «Tens de ficar mais uma noite. Não podes ir embora quando a última palavra que disseste foi válvula.» E foi então que, quando ela me enviou uma mensagem, eu respondi «Diz-lhe que ordeno que venha.» E vieste. No mais íntimo que há em mim, eu sabia que vinhas. Ou tinha essa esperança, porque não podias ir embora quando as últimas palavras que eu disse foram até já.
Eu sabia que partirias novamente, sempre o soubemos. Sentei-me no passeio e, não aguentando o peso das palavras que não podia dizer, não suportando o peso de mais uma despedida, chorei. Questionaste o porquê das minhas lágrimas e eu não respondi; queria dizer-te até já, mas não consegui; afirmaste que não insistirias e foi melhor assim.
Gosto muito de Santa Apolónia e a estação de comboios é a mais bonita da minha cidade, é um lugar bastante reconfortante para chegadas e partidas, despedidas, ainda que não olhe para trás quando não quero que partam. Sabia que não haveria um até já, por isso abracei-te. «Vou ter saudades, não sei porquê, mas vou ter saudades tuas» e vi-te partir. Foi melhor assim. 
 
Beijinhos, La Bohemie.